Coca dourada

Pluteus crisophaeus  Pluteus chrysophaeus Pluteus chrysophaeus

Pluteus chrysophaeus

Sistemática:

  • Departamento: Basidiomycota (Basidiomycetes)
  • Subdivisão: Agaricomycotina (Agaricomycetes)
  • Classe: Agaricomycetes (Agaricomycetes)
  • Subclasse: Agaricomycetidae (Agaricomycetes)
  • Ordem: Agaricales (Agaric ou Lamellar)
  • Família: Pluteaceae
  • Gênero: Pluteus (Plutey)
  • Espécie: Pluteus chrysophaeus (pluto dourado)
    Outros nomes para o cogumelo:
  • Plutey marrom dourado
  • Pluteus galeroides
  • Pluteus luteovirens
  • Pluteus xanthophaeus

Sinônimos:

  • Plutey marrom dourado

  • Agaricus chrysophaeus
  • Agaricus crocatus
  • Agaricus leoninus var. chrysophaeus
  • Hyporrhodius chrysophaeus
  • Pluteus luteovirens
  • Pluteus galeroides
  • Pluteus xanthophaeus

Pluteus chrysophaeus

Descrição

Chapéu: pequeno, de diâmetro pode ser de 1,5 a 4, raramente até 5 centímetros. A forma é prostrada convexa ou cônica, às vezes com um pequeno tubérculo na parte central. A superfície da tampa é lisa ao tato, amarelo-mostarda, ocre, ocre-oliva ou acastanhada, mais escura na parte central, possivelmente com pequenas rugas, dobras ou nervuras pronunciadas em malha radial. Nas bordas com o tempo, torna-se estriado, mais claro, difere em um tom amarelo claro. A carne no chapéu de cuspe de cor dourada não é muito carnuda, fina.

Pratos: soltos, frequentes, largos. Nos cogumelos jovens, eles são brancos, esbranquiçados, com um leve tom amarelado, tornam-se rosa com a idade devido aos esporos que se espalharam.

Perna: de 2 a 6 centímetros de altura, e a espessura pode variar de 0,2 a 0,5 cm, A perna é central, a forma é predominantemente cilíndrica, expandindo ligeiramente na base. A superfície da perna é amarelada ou de cor creme. Uma borda esbranquiçada (micélio) pode frequentemente ser vista na parte inferior do caule deste cogumelo. A perna é lisa ao toque, de estrutura fibrosa, caracterizada por uma polpa bastante densa.

Não há anel, nem vestígios de uma colcha privada.

A polpa é clara, esbranquiçada, pode apresentar tonalidade amarelo-acinzentada, não possui sabor e aroma pronunciados, com danos mecânicos (cortes, fraturas, inchaços) não altera a tonalidade.

Pó de esporo de cor rosada. Os esporos são lisos na estrutura, ovóides, amplamente elipsóides e podem ser simplesmente arredondados. Seus tamanhos são 6-75-6 mícrons.

Estação e habitat do fungo

O chicote dourado pertence à categoria dos saprótrofos, cresce principalmente em tocos ou madeira de árvores caducas enterradas no solo. Você pode encontrar este cogumelo nos restos de olmos, às vezes – choupos, carvalhos, bordos, freixos ou faias. Curiosamente, o chicote dourado pode aparecer tanto em madeiras que ainda estão vivas quanto em troncos de árvores já mortas. Este tipo de cogumelo é encontrado em muitos países europeus, incluindo a Rússia. Na Ásia, o plyutei dourado pode ser encontrado na Geórgia e no Japão, e no norte da África – no Marrocos e na Tunísia. Embora em geral este tipo de cogumelo seja muito raro, na Rússia ele pode ser visto com mais frequência na região de Samara (ou, mais precisamente, na região de Samara, um grande número de achados deste cogumelo foi notado).

A frutificação ativa do espeto dourado dura do início do verão (junho) até meados do outono (outubro).

Comestibilidade

O pluto dourado (Pluteus chrysophaeus) é um dos cogumelos pouco estudados, mas comestíveis. Alguns catadores de cogumelos consideram-no não comestível devido ao seu pequeno tamanho ou mesmo venenoso. Não há dados oficiais sobre toxicidade.

Tipos semelhantes e diferenças entre eles

O espeto dourado em sua variação amarelo-ocre-oliva pode ser semelhante a outros cuspidores amarelos, tais como:

  • A barata leão-amarela (Pluteus leoninus) é ligeiramente maior.
  • Pluteus fenzlii – distingue-se pela presença de um anel na perna.
  • A barata de veias douradas (Pluteus chrysophlebius) é muito menor.

Em tons acastanhados, é semelhante à Veia Plut (Pluteus phlebophorus).

Notas

Como costuma acontecer em micologia, há alguma confusão de nomenclatura. Leia sobre as dificuldades com os nomes Pluteus chrysophlebius e Pluteus chrysophaeus no artigo Plutey com veias douradas. Algumas fontes indicam o nome 'Pluteus leoninus' como sinônimo de 'Pluteus chrysophaeus', porém, 'Pluteus leoninus' não significa 'Rogue amarelo-leão', é um homônimo. Homônimo em taxonomia é o nome de um táxon biológico, com grafia idêntica a outro (ou tão semelhante na grafia que pode ser considerado idêntico na grafia), mas baseado em um tipo de nomenclatura diferente. Pluteus leoninus sensu Singer (1930), Imai (1938), Romagn. (1956) – homônimo de Pluteus leoninus (Schaeff.) P. Kumm. 1871 – Palhaço amarelo-leão. Entre outros homônimos (coincidências de grafia) vale a pena listar: Pluteus chrysophaeus sensu Fay. (1889) – pertence ao gênero Fibra (Inocybe sp.) Pluteus chrysophaeus sensu Metrod (1943) – sinônimo de Pluteus romellii Britz. 1894 – o palhaço Pluteus chrysophaeus auct de Romell. É sinônimo de Pluteus phlebophorus (Ditmar) P. Kumm. 1871 – Veinous Plutey

Nature lover
Rate author
Caça, pesca e cogumelos: uma revista para caçadores e pescadores.
Add a comment